logo

Entrar
Actualizado às 11:18 PM, Jul 17, 2018

19ª FESTA DO CINEMA FRANCÊS

A Festa do Cinema Francês chega à 19ª edição Organizada pelo Institut français du Portugal e Embaixada de França, com a colaboração da rede das Alliances françaises em Portugal, a 19ª edição vai decorrer de 4 de outubro a 12 de novembro 2018, em 11 cidades do país, reforçando a sua presença nestas cidades que vão fazendo parte da sua história. As cidades que a acolhem são: Almada, Aveiro, Beja, Coimbra, Faro, Leiria, Lisboa, Porto, Seixal, Setúbal e Viana do Castelo A abertura oficial da 19ª Festa do Cinema Francês (FCF) é em Lisboa a 4 de outubro no Cinema São Jorge, cidade onde permanecerá até dia 14, como em Almada, partindo depois para as outras cidades. A imagem deste…

«Sibéria» - trailer

SIBÉRIA conta a história de Lucas (Keanu Reeves), um comerciante de diamantes americano, que viaja até S. Petersburgo para vender uns raros diamantes azuis de origem duvidosa. Com o colapsar do negócio, Lucas vai até à Sibéria em busca do seu parceiro desaparecido e dos seus diamantes. Durante a viagem, Lucas começa uma relação com Katya (Ana Ularu), a proprietária de um pequeno café siberiano. À medida que a sua paixão cresce, também os perigos do traiçoeiro universo do comércio de diamantes parecem aumentar e Lucas é incapaz de se libertar desse mundo. Tanto a história de amor que vive, como os dilemas mortíferos do tráfico de diamantes colapsam, levando Lucas a ter de encontrar uma escapatória num mundo de…
Tagged em

IDLES em Portugal

Idles, a banda Punk Rock de Bristol, vai embarcar pela primeira vez numa digressão mundial, com o propósito de apresentar o novo álbum "Joy As An Act of Resistance". O quinteto tem passagem confirmada no Porto a 26 de novembro, no Hard Club, seguindo para Lisboa a 27 de novembro, onde atuam no Lisboa ao Vivo - LAV. Com o lançamento do novo álbum confirmado para dia 31 de agosto de 2018, a banda inglesa de Bristol já partilhou com os fãs dois singles, "Danny Nedelko" e “Colossus”. Produzido pelo Space e misturado por Adam Greenspan e Nick Launay (Arcade Fire, Yeah Yeah Yeahs, Kate Bush), "Joy as an Act of Resistance", aponta para tudo, desde a masculinidade tóxica, nacionalismo,…
Tagged em

CANNES: Spike Lee

Em 1978, o detective Ron Stallworth, oficial de polícia no estado do Colorado, conseguiu infiltrar-se na rede racista do Ku Klux Klan... O simples facto de Stallworth ser um indivíduo de pele negra torna a sua história um caso extraordinário no interior da história mais geral dos afro-americanos. Agora, Spike Lee revisita essas memórias em «BlacKkKlansman», prodigiosa abordagem nas tensões raciais, com evidentes e assumidas ressonâncias no nosso presente — é, para simplificar, um dos filmes maiores de Cannes/2018, desses que são capazes de discutir, politicamente, a percepção do próprio real.
Tagged em

CANNES: Panahi

O plano de abertura de «3 Visages», de Jafar Panahi, ficará, por certo, como um dos mais viscerais acontecimentos cinematográficos de Cannes/2018: uma jovem filma-se no seu telemóvel, dirigindo-se à actriz Behnaz Jafari e anunciando um fim trágico para a sua própria existência... Subitamente, o cinema reencontra esse esplendor material de, mais do que "reprodução" de vida, ser facto vital, implicando corpos e desejos. Depois, Jafari e o próprio Jafar Panahi (mais uma vez assumindo o seu próprio papel) empreendem uma viagem de prospecção que os leva — e nós com eles — a um Irão esquecido entre montanhas, marcado por muitas peculiaridades, incluindo o uso corrente da língua turca. Panahi filma o seu povo e, através dele, a dificuldade,…
Tagged em

CANNES: Godard

Godard contra o resto do mundo?... Não exactamente — há mesmo nele um desejo de comunicação tecido através da contemplação de uma infinitude de diferenças. O certo é que temos sempre a sensação de que há o cinema de Jean-Luc Godard e, do outro lado, o resto do mundo. Aliás, corrijo: o cinema godardiano habita o mundo, transfigurando-o, levando-nos a repensar certezas e ideias feitas. «Le Livre d'Image», objecto sublime, é mais um capítulo dessa viagem arfante por memórias históricas e cinéfilas, desembocando nas convulsões contemporâneas do mundo árabe — um filme para ler como um livro, reavaliando, não apenas a arte de olhar, mas a capacidade de ver.
Tagged em
Assinar este feed RSS